sábado, 25 de maio de 2013

Diferenças entre o cérebro masculino e o feminino
Homens e Mulheres pensam e agem de forma diferente em situações parecidas, saiba o porque.

"Os homens são de Marte, as mulheres são de Vênus" título do famoso livro publicado por John Gray em 1992 que descreve as diferenças de comportamento entre eles e elas. Não é de hoje que se fala que homens e mulheres se expressam de forma diferente, porém a pouco tempo a ciência começou a desvendar as diferenças entre o cérebro masculino e o feminino, e por incrível que pareça alguns mitos foram comprovados cientificamente e explicam porque homens e mulheres agem de maneira distinta em situações parecidas , veja alguns deles:  

1º Mito:  Mulheres falam mais do que homens?       

Mulheres dizem 20 mil palavras ao dia

É verdade. Uma pesquisa realizada na Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, comprovou que a proteína FOXP2, responsável pela articulação de frases era 30% maior nas meninas do que nos garotos, e por esse motivos elas começam  a falar mais cedo. A pesquisa também conclui que os homens se contentam com apenas 7 mil palavras por dia em média, enquanto as mulheres pronunciam uma média de 20 mil palavras, quase três vezes mais do que os homens, por esse motivo as mulheres tem mais facilidade com a linguagem.

2º Mito: Homens dirigem melhor?    

Homens dirigem melhor


É verdade. Pesquisadores da Universidade Ruhr-Universität Bochum, na Alemanha, fizeram um estudo experimental para comprovar o mito, e resultado apontou que os homens são melhores motoristas. O experimento foi realizado com 65 participantes (30 mulheres e 35 homens), o objetivo do teste era estacionar um Audi A6 (automático) de frente e de ré em prédio de estacionamento com vários andares. Os homens foram 35%  mais rápidos do que as mulheres e 2,4% mais precisos. O resultado favorável para os homens pode ser reflexo da melhor cognição espacial presente nos homens.         

3º Mito: Homens são melhores em matemática? 

Mulheres matemática

Mito. Não há nenhum estudo cientifico que comprove que o cérebro dos homens leve vantagem sobre os das mulheres quando o assunto é matemática, acredita-se que homens ganham mais prêmios em áreas que envolvam a matemática simplesmente por diferenças culturais, afinal eles sempre estão em maior número e desde pequenos são incentivados a gostar das áreas exatas, enquanto elas preferem atuar em áreas biológicas ou humanas. Portanto, tudo se trata de uma diferença cultural.  

4º Mito: Mulheres são mais emotivas?  

Mulher sensível (Chorando)

Mito. Não há comprovação cientifica de que mulheres são mais emotivas,  as mulheres são tratadas desde pequenas como sexo frágil e encorajadas a expressar suas emoções, enquanto os homens são ensinados a não demonstrar suas emoções em público o que pode ser sinal de fraqueza e falta de masculinidade. As mulheres também sofrem com ciclos hormonais a cada mês o que deixa seu emocional mais abalado, porém não há provas cientificas de que haja uma estrutura cerebral que torne as mulheres mais emotivas do que os homens, tudo se trata novamente de uma questão cultural.   

5º Mito: Mulheres dão menos valor a aparência do parceiro? 

Homem feio
        
Verdade. As mulheres gostam de homens bonitos, porém dão menos valor a aparência física em comparação aos homens. Enquanto eles valorizam muito a beleza da parceira, elas preferem se sentir seguras com um parceiro, preferem que ele tenha uma conversa agradável e demonstre qualidades como romantismo e auto-confiança. Para os homens achar a parceira atraente é fundamental, para as mulheres nem tanto.   

Gostou do artigo? Deixe seus comentários abaixo.

1 comentários:

  1. Acho que qualquer diferença de gênero é um mito. As pessoas possuem características individuais e não grupais. O post falou de pesquisas que "comprovam'' que mulher fala mais. Porém, na ciência existem maus profissionais também, como em todas as profissões; existindo trabalho científico sem qualidade. E um dos erros mais comuns dos cientistas é confundir causa com efeito (o ovo ou a galinha). A maior quantidade da tal da proteína teoricamente talvez responsável pela articulação da fala nas mulheres poderia também ser um efeito do costume de falar mais e não a causa da falatória, essa hipotese foi desconsiderada na pesquisa. Um homem pode falar muito e uma mulher pode ser calada. E essa história de que as meninas aprendem a falar mais cedo não é observada na prática. Não existe tempo fixo para uma criança aprender a falar, o que determina esse tempo são as características individuais de cada um. Pesquisas que confrontam, competem, discriminam ou tentam diferenciar os sexos são sempre um fiasco. Isso porque existem dezenas senão centenas de fatores que atuam definindo características no ser humano. E se realmente o sexo da pessoa define alguma habilidade, característica ou traço de personalidade não é possível saber com o verdadeiro rigor científico devido a dificuldade de isolar esse suposto fator-sexo das outras centenas de fatores. Sem a possibilidade de isolar o fator-gênero, essas pesquisas não passam de resultados aleatórios interpretados como diferença de gênero; onde cientistas formados praticam pseudo-ciência, vendo padrões onde não há padrões. Acho que essas pesquisas só servem para gerar preconceito, ou para as pessoas esfregarem na cara do sexo oposto dizendo "eu tenho você não teem" "eu sou melhor que vocêe" "lero lero", usando o famoso clichê do "cientificamente comprovado". E serve só para atrapalhar as relações entre os sexos, onde as pessoas passam a idealizar as qualidades e talentos do outro ao invés de se dispor a conhecer asa características individuais do outro. Gerando discussões, ofensas, desconfiança, decepção... Confiar que cientista é sinônimo de inteligente acaba bagunçando totalmente a cabeça das pessoas, um verdadeiro efeito borboleta.

    ResponderExcluir